MALTA, vale a pena ou não?

Hoje vou partilhar tudo sobre a minha última viagem a Malta com o Gonçalo mas de uma forma diferente do habitual.
Vou explicar como marquei a viagem, como escolhi o hotel, o que visitei e o mais importante: os PREÇOS!
Portanto fiquem desse lado e apontem tudo.
 
Como marcamos a viagem a Malta:
  • Primeiro fizemos uma pesquisa no skyscanner
  • Percebemos que os voos mais baratos partiam de Madrid
  • Marcamos pela Ryanair o voo Madrid – Malta por 68€ (ida e volta preço por pessoa)
  • Mais tarde fizemos novamente outra pesquisa e marcamos pela Ryanair o voo Porto – Madrid 30€ (ida e volta preço por pessoa)
  • Como o voo de Malta chegava a Madrid perto da meia noite marcamos uma noite no IBIS de Madrid que ficou por 25€ (preço por pessoa).
Nunca tinha ficado num IBIS, mas ADOREI completamente o hotel para não falar do preço.
A primeira viagem (Madrid – Malta) ficou marcada logo em Maio, a segunda viagem (Porto-Madrid) só marcamos em Junho.
Obs: Também há a opção de viajar diretamente do Porto para Malta, mas quando fizemos a pesquisa ficava por 198€.

 

Como escolhemos o Hotel?
Depois de termos conseguido viagens bastantes acessíveis tínhamos um budget maior para o hotel.
Aqui foi simples e rápido: o Booking é a minha plataforma preferida para encontrar qualquer tipo de alojamento.
Após várias pesquisas encontramos o Hotel Seashells Resort – AX Hotels que tinha boa pontuação, estava dentro do budget e ainda tinha a vantagem de só se pagar no alojamento e ainda tinha cancelamento gratuito, por isso não havia muito em que pensar.
O preço para 6 noites em regime de TUDO INCLUIDO ficou por 560€ (preço por pessoa).
Confesso que tinha grandes expectativas para o hotel e na realidade não correspondeu, achei que já estava um pouco degradado, mas estava sempre LIMPO.
A nível de restaurante não era nada mau, tínhamos muita variedade. O que deixou muito a desejar foi a alimentação nos bares.  

Como andar em Malta:
Não sei se sabem, mas em Malta a condução é igual à inglesa, nós não tínhamos a ideia de alugar carro (e ainda bem), mas caso tenham ficam já a saber onde se vão meter. Optamos por comprar o “passe” para 7 dias onde podíamos andar em tudo o que era de transportes públicos as vezes que quiséssemos. Tenho que salientar que os transportes públicos são o verdadeiro fim do mundo, estão constantemente atrasados e se estiverem um bocado mais cheios os motoristas simplesmente não param.
 O preço deste “passe” é de 21€.
 
O que visitar em Malta:
Aqui temos o bom da ilha, tanto podemos explorar o lado mais cultural como aproveitar o lado balnear.
Confesso que o meu objetivo principal era só praia e piscina, mas depois de perceber que tinha muito mais para além de praia dividimos o dia. Então foi só planear o que fazer de manhã e o que fazer de tarde.  
O que conhecemos:
  • Mdina 
Já foi a capital de Malta, hoje é conhecida pela famosa série “Game of Thrones”, as ruas são muito ao estilo medieval.
  • Rabat
     

 

O aspeto é muito semelhante a Mdina não ficassem as duas uma ao lado da outra.
  • ST. Julians e Sliema 
st julians st julians malta st julians st julians
St. Julians é o sítio perfeito se gostam de sair à noite, lá encontram toda animação noturna. De dia podem disfrutar de um belo passeio numa marginal até Sliema. Tem uma oferta enorme no que toca a cafés e restaurantes.
  • La Valletta 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O último dia foi exclusivamente para conhecer a capital de Malta, não é que precisem de um dia completo na verdade bastam 3h para ficarem com uma ideia do que é. Vale a pena perderem-se nas ruas de La Valleta, é sem dúvida inspirador.
As Praias:
♦ Golden Bay – é uma praia que até não é pequena, tem um bom areal eu não tive muita sorte porque apanhei a praia completamente cheia, a água estava realmente ÓTIMA, mas cheia de algas. (Não me fascinou.)
♦ Ghajn Tuffieha – é uma praia que é MUITO pequena, parecíamos literalmente sardinhas enlatadas, a água estava ÓTIMA, mas continuava cheia de algas.
♦ Mellieha Bay – esta foi sem DÚVIDA a minha praia favorita, espaçosa, areia super fina, água transparente e quente. Neste dia até alugamos umas espreguiçadeiras mesmo em frente ao mar para poder disfrutar ao máximo. O preço das espreguiçadeiras foi de 4€ por pessoa (este valor foi negociado). 
Mellieha Bay
♦ Blue Lagoon – Obviamente que tiramos um dia para visitar a tão famosa Blue Lagoon, inicialmente tínhamos lugar num barco que nos levava a conhecer as grutas e passava por Gozo, incluía também as refeições, mas perdemos o barco.
Portanto, só nos restou ir de ferrie e fazer tudo por nossa conta.
Relativamente à Blue Lagoon, é sem dúvida um local lindo, mas muito turístico, quem acompanhou as minhas redes sociais reparou na quantidade de turistas que estavam lá.
Não fiquei completamente fã e no final até agradecermos por termos perdido o barco, assim podemos regressar às horas que quiséssemos.
O preço do barco ficava por 15€ c/ o almoço incluído, partia as 11h e regressava às 17h.
O ferrie ficou por 10€.

 

 

Valeu a pena ou não?
Não tinha grandes expectativas sobre Malta, já tínhamos falado sobre este destino em Fevereiro quando optamos por ir a Budapeste, a ideia ficou sempre presente por isso foi só pô-la em prática.
Honestamente gostei muito, acho que vale muito a pena conhecerem, só pelo facto de terem as duas vertentes (cultura e balnear) no entanto, como em todo o lado existem as partes menos boas, mas também se leram este artigo já sabem o que contar.
A parte boa desta ilha é que o custo de vida não é alto, comparando com outros países da Europa.
Espero que tenham gostado da minha transparência, deixem o vosso feedback aqui ou nas minhas redes sociais. 

Xoxo,

 

Partilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *